UMA CURTA-METRAGEM DE PORTUGAL
"Respirar (debaixo d'água)"

Von Ulrike Borowczyk

De repente a consciência muda, infância acaba e começa a adolescência, normalmente com a descoberta do sexo oposto. Quando "Pedro" se apaixona por "Ana", as coisas mudam de um dia para o outro. Ainda ontem trabalhava na oficina do seu pai, faltava com os amigos às aulas, fumava charros, dava voltas de mota e organizava tardes à beira rio. Agora o mundo parece um grande sarilho, composto por rivalidades e jogos de poder, relações complicadas e terrenos altamente explosivos, especialmente devido ao seu melhor amigo "João" se ter apaixonado pela mesma rapariga.

Só há uma saída: mergulhar. Tudo é mais fácil debaixo d'água, não há professores a chatear nem mães aos berros. Chega o momento em que deixa de sentir o seu peso, unificando-se com a água. Mas quando se trata de amor, é preciso lutar. Mesmo se os acontecimentos o empurram cada vez mais fundo, ele aprende a respirar debaixo de água.

O realizador e argumentista português António Ferreira, que estudou na Deutsche Film- und Fernsehakademie Berlin (dffb), mergulha emoções quentes num azul refrescante. A premiadíssima curta metragem Respirar (debaixo d'água) é uma história de iniciação, tanto complexa como concentrada, contada através de imagens impressionantes. Ela fala da sobrevivência sob alta-pressão, que por vezes acaba por ser mortal. A obra só dura 45 minutos, está em cartaz no Cinema Moviemento, sozinha, pois segundo o exibidor "não se encontrou nenhuma curta que se aproximasse do Respirar temáticamente, e acabamos por optar por uma variante mais económica para o público."

Berlim - Berliner Morgenpost 26.07.2001